Category: Comunicação

Credibilidade acima de tudo

dsc_0708_matosinhosRecentemente ficámos a saber que Garrett McNamara “apoia” a candidatura de Almada a Cidade Europeia do Desporto 2018. Rapidamente choveram manifestações positivas e negativas acerca desta opção de representação, sendo natural, até porque Garrett McNanamara não é português o que desafia desde logo a condição patriota dos portugueses, é também lógica, afinal já representou a Nazaré, Portugal, pelo meio marcas e agora Almada.

Já há algum tempo que tinha vontade de escrever acerca deste fenómeno, agora penso ter chegado a altura certa. Desde já, por questões profissionais, sendo marketer e tendo colegas a tomar estas decisões (de escolhas sobre endorsement), apraz-me perceber que todos fizeram excelentes opções ao escolher McNamara como representante daquilo que queriam comunicar. O alcance que conseguiram foi excepcional e por si só, sendo que estamos a falar de bens de consumo (café) ou locais (pais, cidade e vila), o critério de segmentação predefinido é bastante alargado, logo os resultados só podem ter sido mais do que conseguidos.

Recuando um pouco no tempo, e de forma a sustentar esta opinião (não querendo entrar em pormenores técnicos de surf), quando a Câmara Municipal da Nazaré procurou explorar a especificidade da Praia do Norte, recorrendo a um surfista estrangeiro disponível para desbravar as condições únicas desta zona, de forma a dar a conhecer, logo explorar economicamente, esta vantagem (reforço a exclusão da questão tecnica de surf), essa escolha provou ter sido perfeita. Os intentos da autarquia, na minha opinião, foram mais do que conseguidos. A Nazaré beneficiou de um alcance sem igual, de extensão mundial, percorrendo todo o tipo de meios e de reconhecimento autentico, já que a zona apresentava-se como tendo ondas especificas e o surfista explorou essa especificidade no seu expoente máximo. Assim, podemos concluir que o objectivo era claro e o resultado superou esse objectivo. Hoje a Nazaré está no mapa (reconhecimento) e evoluiu economicamente no sector privado.

Pegando nos percursores (CMN) e levando esta estratégia para todas as outras relações representativas – Portugal, Café Boundi, Lion of Porches e agora Almada, podemos assumir que foram opções válidas, até porque os valores de representatividade (é publico) são interessantes e os resultados imediatos – a constante opção pelo mesmo personagem faz com que o reconhecimento se mantenha em alta, foram também bastante inteligentes já que todas estas marcas tentavam ir buscar algo aspiracional ao “Surf” – com reconhecimento evidente e duradouro. Portanto, parece não haver espaço para grandes criticas negativas às ligações das marcas com este indivíduo, não me parece sequer discutível que as estratégias acima descritas fossem erradas, os resultados provaram ser certeiras.

Todavia, há efeitos colaterais neste tipo de estratégias longas no tempo e comuns na génese. A médio prazo e quando a temática exposta é especifica, neste caso – Surf e Ondas, o alcance per si, sem critério e sem sustentação, não só não converte, como o investimento fica disperso. Senão vejamos, a Nazaré neste momento ficou conhecida, mas, além de projectos privados de imobiliário (não hotelaria), o investimento que aparece, aparece para investir no Garret Mcnamara e não na Nazaré. O que me parece natural, já que o reconhecimento está no indivíduo e não a marca/produto/serviço. Este fenómeno está de facto a acontecer, tendo a Câmara local voltado a investir no reconhecimento da zona por outras vias, não no surf actividade, mas na zona turística como um todo.

A credibilidade também fica beliscada a médio prazo, ou seja, se o objectivo foi apenas alcance/reconhecimento (awareness) o proveito é total a curto prazo, porem a médio prazo a mensagem global de curta duração, torna-se de média duração pelo target conhecedor, o que define como negativa a mensagem se esta for inócua. O que é o caso, já que o mensageiro neste caso não transporta apenas a mensagem, ele proprio representa-a.

Volto à primeira frase e de lançamento deste tema – Almada, na minha humilde opinião, escolheu muito bem se o objectivo é angariar votos no exterior, o que me parece lógico. Todavia, não geriu pelos vistos o target conhecedor e detentor de opinião qualificada, o que em casos como este são fundamentais ter em conta. Não só pela relação social com a edilidade, mas também pela relevância que o target “core” tem a longo prazo numa zona tão especifica e tão importante para Almada como a Costa de Caparica.

Em jeito de conclusão, deixando uma opinião menos mercantilista mas largamente mais eficiente – Algo de muito errado se passa quando se continua a achar que é dinheiro bem gasto disparar “cartuchos” indescriminadamente de forma a acertar em alguém, sem ter a minima capacidade de analisar e apontar ao alvo certo para o produto certo. Já não é nesse tempo em que vivemos.

As administrações já não podem ficar contentes apenas com cadernos de valorização hiperbolizados, a conversão real de tal investimento tem que ser tangível e de preferencia deixando um legado de credibilidade e reputação gerivel. Será sempre fácil de apresentar resultados inócuos, mas cobertos de um valor imenso percepcionado (o alcance e reconhecimento).

Samsung continua o seu caminho no Surf

A Samsung Mobile acaba de anunciar que ´e um orgulho serem o primeiro parceiro global da historia da ASP, juntos celebram o crescimento do surf `a escala mundial e aproveitam para recordar que “todos os dias ´e o primeiro dia”.

Para afirmar esta posição a Samsung acaba de lançar um video, unindo este lançamento ao arranque da “perna” Americana do ASP World Tour e que tem como destaques Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Gabriel Medina, Mitch Crews e Johanne Defay.

Com uma mensagem profunda e autentica, a Samsung procura definir o seu posicionamento neste segmento como um elemento purista – A primeira vez que agarras numa prancha, a primeira onda surfada, a o primeiro tubo, a primeira vez que ´es campeão do mundo. Não interessa de onde vens ou o quão bom ´es. Todos os dias são o primeiro dia.

Quiksilver sai do “print” oficialmente

urlA Quiksilver revelou a nova estratégia de marketing a por em prática já a partir da estação Spring 2015. Em resumo, a Quiksilver vai colocar todo o investimento no digital em detrimento do print.

O investimento online vai ultrapassar os 95% de budget em media, o qual Nick Drake, Chief Marketing Officer, chama de “mudança relevante de estratégia” estando desta forma alinhado com a geração de Millennials.

A organização fez uma extensiva pesquisa em millennials e definiu 5 pontos chave:

  • Vontade de viajar;
  • Gostam de marca livres e que encorajam à participação;
  • Gostam de marcas globais e divergentes;
  • Gostam de marcas com uma consciência forte ao nível social e ambiental;
  • Querem estar conectados 24-7;

A pesquisa revelou também que estes consumidores passam 8 a 10 horas online por dia e que 85% estão conectados em rede todos os dias.

Nick não tem dúvidas que a Quiksilver está no bom caminho e que neste momento “está muito à frente da concorrência”. Afirmou que o website da Quiksilver tem 45 milhões de visitantes únicos por ano e o tráfego nas redes sociais cresceu 85% desde junho 2013. Todavia, o objectivo é chegar aos níveis da Adidas e Nike em engagement.

Por outro lado, e depois de assumir o reforço no digital, definiu um pequeno apoio a publicações “core”. Definiu como apoio singular e anual as seguintes revistas: Kingpin, Stab, Thrasher, Transworld Skate, Surfer, Surfer Europe, Surfing, Snowboarding and Snowboarding Bible.

“O alcance destas revistas até pode ser baixo, mas são extremamente importantes,”concluiu Nick Drake.

 

Fry e Rapp desvendam o nome da sua marca

amuse-0324-n-cropped-13974Depois de no mês passado terem assumido a parceria comercial com Stokehouse Unlimited de Paul Naude, Mandy Fry e Summer Rapp desvendaram oficialmente o nome da sua nova marca de têxtil feminino – Amuse Society. O par lançou igualmente o Web site da marca, www.amusesociety.com, bem como plataformas de social media, Instagram e Facebook. A primeira coleção será vendida em todo o mundo já para verão e consiste em biquinis e algumas peças de pronto a vestir.

“Bebendo” do espirito de praia, a Amuse Society é uma agradável contradição entre o bonito e o duro, boémio  e rock n’ roll. Com o mote – beach vida bling, a marca descreve-se como rebelde e sexy, inspirada na arte de viajar e de perseguir o melhor caminho.

“As últimas semanas tem sido loucos, mas estamos ansiosas para colocar o nome da marca na rua e começar a trabalhar, segundo aquilo em que acreditamos”. Disse Fry. ” Estamos focados em construir e posicionar uma marca que reflicta  tudo aquilo em  que acreditamos e que proporcione uma mais valia para o projecto.”

Red Bull Flow – a aplicação móvel

RedBullFlow_colourA Red Bull apresenta uma aplicação móvel, que possibilita aos skaters e BMXers gravarem os seus melhores “toques”, taggar os riders, taggar os “toques” e depois, sem qualquer tipo de edição ou efeito especial, ver e partilhar com os amigos. A aplicação promete por todos colados aos smartphones a ver os “toques” uns dos outros, em qualquer local e a qualquer hora.

Shaun Tomson lança “The Code”

thecode-shauntomson-11740Surfista campeão do mundo e autor Best Seller, Shaun Tomson acaba de lançar – The Code, um livro com estrategias simples para superar os desafios e para tomar decisões positivas no dia a dia. Em 12 estórias pessoais, Shaun partilha a força de – “I Will“, um código que o levou até ao topo de uma carreira de sucesso e que o ajudou a superar a perda do seu filho adolescente, Mathew.

“Tudo o que precisas para tornares o desejo em acção, é escreveres as tuas promessas e gritares bem alto. Faz promessas a ti própria e a mais ninguém. The Code tem a ver com muitas coisas – Fé, coragem, criatividade, determinação… mas acima de tudo, tem a ver com as 12 promessas que fazemos a nós próprios no futuro.” Disse Shaun.

Michael Daly novo CEO da Rip Curl

4752_lg_expo_ripcurl_kellygibson_michaeldalyMichael Daly, antigo COO da Rip Curl, foi nomeado CEO da marca Australiana a partir do próximo dia 01 de Julho.

Michael passou os últimos 2 anos a trabalhar nos escritórios da Rip Curl em Costa Mesa na California e recentemente regressou à Australia.

Daly já trabalha há 11 anos na Rip Curl e entre outras, já desempenhou a função de CFO.

Um dos fundadores da Rip Curl, Brian Singer vai assegurar interinamente o cargo de CEO até Daly entrar em funções, depois do actual CEO, Olivier Cantet, resignar. Após a entrada oficial de Daly, Brian Singer volta à sua função anterior, Founder Director.

Photo – shop-eat-surf.com